OBESIDADE

O sobrepeso e a obesidade são definidos como uma acumulação anormal ou excessiva de gordura que pode ser nociva para a saúde.

O Índice de Massa Corporal (IMC) é um indicador simples da relação entre peso e altura, utilizado comumente para identificar o sobrepeso e obesidade em adultos. O IMC é obtido a partir da divisão do peso em quilogramas de uma pessoa pelo quadrado da sua altura em metros (kg/m2).


Adultos


No caso dos adultos, a Organização Mundial da Saúde (OMS) define o sobrepeso e a obesidade como se indica em seguida:

  • sobrepeso: IMC igual ou acima de 25.
  • obesidade: IMC igual ou acima de 30.

O IMC fornece a medida mais útil do sobrepeso e a obesidade na população, pois ele serve para homens e mulheres de todas as idades. Porém, o IMC deve ser considerado como uma medida aproximada, porque ele pode não corresponder ao mesmo nível de grossura em pessoas diferentes.



Crianças

No caso das crianças, é importante ter em mente a idade da criança no momento de definir o sobrepeso ou obesidade. Para as crianças menores de 5 anos:

  • O sobrepeso é a medida de peso-estatura com mais de dois desvios padrão acima da média do Padrão de Crescimento Infantil da OMS.
  • A obesidade é a medida de peso-estatura com mais de três desvios padrão acima da média do Padrão de Crescimento Infantil da OMS.

No caso das crianças entre 5 e 19 anos, o sobrepeso e a obesidade são definidos como:

  • O sobrepeso é o IMC para a idade com mais de um desvio padrão acima da média do Padrão de Crescimento da OMS.
  • A obesidade é mais de dois desvios padrão acima da média do Padrão de Crescimento da OMS.

Dados mundiais sobre sobrepeso e obesidade (OMS)


  • Em 2014, mais de 1900 milhões de adultos acima de 18 anos estavam com sobrepeso, e deles 600 milhões estavam com obesidade.
  • Em geral em 2014 aproximadamente 13% da população adulta no mundo (11% homens e 15% mulheres) estavam com obesidade.
  • Em 2014, 39% dos adultos acima de 18 anos (38% homens e 40% mulheres) estavam com sobrepeso.
  • Entre 1980 e 2014, o prevalecimento no mundo da obesidade tem se dobrado.
  • Em 2014, aproximadamente 41 milhões de crianças com 5 anos de idade estavam com obesidade ou sobrepeso. Apesar de que o sobrepeso e a obesidade foram alguma vez considerados como um problema dos países de renda alta, eles vêm aumentando nos últimos anos em países de renda baixa e média, especialmente nas áreas urbanas.
  • Na África, o número de crianças com sobrepeso ou obesidade tem se dobrado: de 5,4 milhões em 1990 a 10,6 milhões em 2014. Nesse ano, quase a metade das crianças menores de 5 anos que estavam com sobrepeso ou obesidade moravam na Ásia.
  • No mundo morrem mais pessoas por conta do sobrepeso e a obesidade do que por conta dos problemas decorrentes de um peso baixo. Em geral há mais pessoas com sobrepeso do que pessoas com um peso baixo, o qual acontece em todo o mundo, com exceção de certas partes da África subsaariana e da Ásia.

Causas


A causa fundamental do sobrepeso e a obesidade é um desequilibro energético entre calorias ingeridas e calorias usadas. Em nível mundial tem acontecido o seguinte:

  • Um aumento no consumo de alimentos altos em calorias e ricos em gorduras, e
  • Uma diminuição nas atividades físicas como resultado da natureza cada vez mais sedentária de muitas formas de trabalho, dos novos transportes e da urbanização crescente.

Frequentemente as mudanças nos hábitos alimentares e na atividade física acontecem devido às mudanças sociais e do meio ambiente relacionados com o desenvolvimento, assim como à falta de políticas de apoio em setores como o sistema de saúde pública, a agricultura, o transporte, o planejamento urbano, o meio ambiente, a indústria dos alimentos, e a educação.



Consequências


Um IMC alto é um fator de risco importante de doenças não transmissíveis como:

  • Doenças cardiovasculares, principalmente cardiopatias e acidentes vasculares cerebrais.
  • O diabetes.
  • Transtornos do aparelho locomotor, especialmente osteoartrite que é uma doença degenerativa das articulações incapacitante.
  • Alguns tipos de câncer como do endométrio, de mama, dos ovários, da próstata, do fígado, da vesícula biliar, dos rins e colorretal.

O risco de padecer estas doenças não transmissíveis aumenta com IMC altos.

A obesidade infantil está relacionada a uma probabilidade maior de obesidade, morte prematura, e deficiência na vida adulta. Além disso, as crianças obesas têm problemas respiratórios, maior probabilidade de fraturas e hipertensão e apresentam indícios prematuros de doenças cardiovasculares, resistência à insulina e efeitos psicológicos.


Encarar uma carga dupla de morbidade


Atualmente muitos países de renda baixa e média têm uma “carga dupla” de morbidade.

Enquanto esses países ainda têm problemas de doenças infeciosas e desnutrição, eles também apresentam um aumento rápido dos fatores de risco de doenças não transmissíveis como a obesidade e o sobrepeso, especialmente nas áreas urbanas.

Nos países de renda média e baixa, é muito provável que a nutrição pré-natal, e dos lactentes e crianças menores de 5 anos seja inadequada. Da mesma forma, essas crianças estão expostas a alimentos altos em calorias, gorduras, açúcar e sal e baixos em nutrientes, que usualmente são mais baratos mas têm menor qualidade nutricional. Esses hábitos alimentares, em conjunto com a falta de atividade física, permitem um aumento na obesidade infantil ao mesmo tempo que os problemas de desnutrição ficam sem se resolver.




Como reduzir o sobrepeso e a obesidade?


O sobrepeso e a obesidade, e outras doenças não transmissíveis relacionadas, são preveníeis na maioria. Comunidades e ambientes solidários são fundamentais na mudança das escolhas das pessoas: seu papel está em tornar a opção de alimentos mais saudáveis e atividade física na escolha mais fácil, mais acessível, disponível e barata.

Individualmente as pessoas podem:

  • Limitar a ingesta energética de gorduras e açúcares.
  • Aumentar a ingesta de frutas e legumes, grãos e nozes.
  • Praticar exercícios regularmente (30 minutos por dia para jovens e 150 minutos por semana para adultos).

A responsabilidade individual só tem efeito se as pessoas têm acesso à um estilo de vida saudável. Portanto, como sociedade, nós temos que ajudar as outras pessoas a seguir as recomendações anteriores implementando políticas demográficas baseadas em fatos científicos que tornem o exercício e alimentos saudáveis numa escolha acessível, barata e fácil para todos, especialmente para as pessoas mais pobres. Um exemplo destas políticas é o imposto às bebidas açucaradas.

A indústria dos alimentos pode influenciar a promoção de dietas saudáveis fazendo o seguinte:

  • Reduzir gorduras, açúcares e sal nos alimentos processados.
  • Garantir a acessibilidade das opções mais saudáveis e nutritivas para todos os consumidores.
  • Restringir o marketing de alimentos altos em açúcar, sal e gorduras, especialmente dos alimentos para crianças e jovens.
  • Garantir opções saudáveis de alimentos e apoiar o exercício regular para seus funcionários.


Bem-vindo

Cadastre-se agora | Esqueceu sua senha?

Ha olvidado la contraseña

Indique su nombre de usuario o dirección de correo electrónico. Recibirá un link por correo electrónico para crear una nueva contraseña.

Assine a Newsletter


E-mail